sexta-feira, 31 de julho de 2009

A ESFERA (VISÕES)

No gume agudo
do som violino
me solto mudo

Anestesiado

Sou abelha atômica
asas vulcânicas
vertiginoso vôo
invertido

Rumo a um poço
profundo
sem fundo
[do lado oposto
ao fim do mundo]

Vejo na mata
uma clareira
circular

Exatamente
no centro
do círculo
uma esfera

Espera

Feita de mil
camadas
sobrepostas
em misteriosa
simetria

Perfeita maestria


no centro
do círculo
somente
em eterno momento
um certo
silêncio

Aquele silêncio
da lonjura
do deserto
da loucura

Ao redor
da esfera
apenas o peso
de sua própria espera

Mas não só

Em frenética
coreografia
dança um gnomo
prateado

"O inferno é gelado
gelado e eterno
é o inferno"
canta rodando
em dança concêntrica

Abro lentamente
com paciência demente
uma a uma
mil camadas

Quanto mais profundas
mais inexistentes

Nem quentes
nem frias

Na última
salta súbito
do dentro
do núcleo
um fluxo de sono
magnético
absoluto

Envolve rápido
zás
minha mente
engole minha alma
no casulo

E leio
escrito em pergaminho
saído da espuma
da gosma
do canto gnomo
a palavra bailarina:
Samsara












2 comentários:

Sandra Timm™ disse...

Saia mais do seu casulo,a belhinha!

Voe e nos alegre os dias.

Voe e ganhe os céus

Voe e nos faça comopanhia!

Sandra Timm™ disse...

Obrigada pelo carinho ue vc me dedica!

Beijo